Blog

Porque a infecção urinária é mais frequente nas mulheres?

45 Comentários

03/08/2013 | Por: | Postado em: Blog, Dicas, Saúde

infeccao-urinaria-saude-blogQuem já teve, sabe muito bem como é. E quem nunca teve, então vamos aprender mais como se prevenir contra isso.

O que é a infecção urinária?

Definimos infecção urinária como a invasão e multiplicação de bactérias, que, através da urina, contaminam o aparelho urinário, causando a respectiva inflamação da bexiga ou dos rins (casos mais graves). As bactérias que mais frequentemente causam infecção urinária são Klebsiella, Proteus e Escherichia coli, muitas vezes presentes na flora intestinal e vaginal.

Como se adquire a infecção urinária?

A via de infecção mais frequente é a ascendente. As bactérias existentes no ânus ou na vagina sobem e penetram no aparelho urinário através da uretra. Existem ainda outras vias de infecção, pela proximidade de outros focos infecciosos, nomeadamente através da corrente sanguínea ou linfática.

Factores predisponentes ao aparecimento e recorrência de infecção urinária

- Pouca ingestão de líquidos, principalmente de água, o que leva a uma hiperconcentração da urina;

- Esvaziamento incompleto ou pouco frequente da bexiga (Ex: guardar a urina e ir ao sanitário, não no momento desejável, mas quando puder);

- Certas manobras ou actos invasivos como o uso de algálias (Sonda usada para examinar a bexiga e extrair urina.);

- Obstrução e refluxo de urina para a bexiga;

- Litíase renal com crises recorrentes (pedras nos rins);

- Prostatites (inflamação da próstata);

- Malformações congénitas do aparelho urinário;

- Alterações / baixa do sistema imunológico;

- Diabetes;

A infecção urinária é mais frequente nas mulheres

Por duas razões:

1-    Porque o comprimento da uretra feminina é mais curto e não ter a protecção de secreções antibacterianas produzidas pela próstata.

2-    Pelo facto de a uretra estar mais próxima da vagina e da sua respectiva flora bacteriana.

Não podia deixar de chamar a atenção das mulheres com vida sexual activa, de que o facto de anatomicamente a uretra estar muito próxima do clítoris, muitas vezes a estimulação deste pode provocar inflamação do meato uretral, surgindo ardor e vontade frequente de urinar após o acto sexual, tornando-se por isso um factor predisponente ao aparecimento de infecção urinária nas mulheres.

As infecções urinárias não são contagiosas, nem são doenças sexualmente transmissíveis e nem há evidências de que se “apanham” em sanitários como se diz vulgarmente. No entanto, convém manter os bons hábitos de higiene.

Sintomas e sinais de infecção urinária?

- Sensação de peso no baixo-ventre (peso na bexiga);

- Aumento da frequência e urgência em urinar;

- Dor ou ardor durante a micção (urinar);

- Febre é rara, mas pode surgir sobretudo nas situações mais graves;

- Dor lombar;

- Urina turva e por vezes mal cheirosa;

- Hematúria (presença de sangue na urina);

- Pode ser assintomática e detectada apenas em exames de rotina.

Tratamento – O que fazer?

O objectivo principal do tratamento consiste na erradicação da infecção, com vista a evitar situações recorrentes que ponham em risco o bom funcionamento dos rins. Para tal, deverá consultar o médico, que irá solicitar um exame bacteriológico da urina (urocultura) para a identificação da estirpe e o respectivo teste de sensibilidade aos antibióticos, para saber qual o antibiótico que melhor destruirá a bactéria em causa.

Por vezes é necessário um follow-up com a realização de outros exames complementares, nomeadamente imagiológicos, tais como RX e ecografia, sobretudo se há refractariedade ou resistência à terapêutica, suspeita de malformações ou outros factores desencadeantes.

Medidas profilácticas – Como evitar recaídas ou reinfecção

- Cuidados de higiene íntima incluindo após defecação ou acto sexual (as mulheres devem faze-lo sempre de frente para trás);

- Aumento da ingestão de água (mínimo 1,5-2 L /dia);

- Esvaziamento frequente completo da bexiga (não guardar urina);

- Evitar bebidas e comidas irritantes (demasiado ácidas e muito condimentadas);

- Evitar relações sexuais traumatizantes;

- Sendo a infecção urinária mais frequente em mulheres, é aconselhável fazer check-up ginecológico regular.

- Aconselha-se micção (urinar) após o acto sexual.

Achou a informação útil?  Que assunto gostaria que a Dra Albertina abordasse da próxima vez? Deixe seu comentário.

colaborou_dralbetina

 

Be Sociable, Share!

Katia Cardoso

facebooktwitter

Sou Brasileira, feliz e muito bem casada. Atualmente vivo em Lisboa, Portugal. Amo estar com minha família e amigos, conversar e dar boas gargalhadas. Sou muito pesquisadora no que diz respeito a saúde e alimentação. Neste espaço, compartilho minhas próprias experiências, na jornada em ser mais saudável com intuito de incentivar, ajudar e acrescentar na vida de outras pessoas. Afinal, temos um corpo a zelar dado por Deus par a ser moradia de Seu Espírito.


45 respostas para “Porque a infecção urinária é mais frequente nas mulheres?”

  1. Fabiane disse:

    muito importante saber e agora praticar e evitar esse male.

  2. Vânia Sousa disse:

    Obrigada,

    Este texto desmistificou alguns conceitos que tinha acerca desta infecção tais como o contágio e o facto de a podermos “apanhar” nos sanitários.

    A ingestão de bastante água é realmente fundamental para o bom funcionamento do nosso corpo.
    Confesso que é preciso usar de imaginação para não enjoar beber sempre a mesma bebida todos os dias. Tenho optado por beber chás tisanas, limonada, ou concentrado que aromatiza a água. Este poderia ser um tema a abordar num próximo texto: Como conseguir ingerir 2 litros de água por dia.

    Beijinhos,
    Vânia

    • Albertina Vieira disse:

      Olá Vânia,
      Para muitas pessoas a ingestão de água é um “castigo”, sobretudo nos dias mais frios. A água deve ser ingerida sem provocar desconforto ao ponto de ficar com sensação de peso no estômago ou enfartamento, pois o que se recomenda não é beber 1,5 L rapidamente, mas ao longo do dia.
      A sua sugestão em complementar ou substituir por sucos, limonadas, águas aromatizadas, chás (suaves, com pouco ou sem açúcar), é muito boa.

  3. Muito obrigada doutora, me tirou algumas dúvidas, eu ja tive incontinência urinária e sei muito bem como ela e incomoda. Procuro seguir sempre as recomendações da médica, muito obrigada pelas dicas.

  4. Cintia Barros disse:

    Muito bom Doutora.
    Já tive está praga é horrivél, fiquei até internada por 3 três dias tomando medicamento na veia. Obrigada pela dicas de prevenção.

  5. cleidirene martins disse:

    Oi gostei muito deste assunto interessante! eu gostaria que no proximo cc postace. sobre. anticoncepcional se. este metodo e confiavel para se evitar uma gravides indesejada e tambem. se causa algum tipo de problema na saude da mulher?

    • Albertina Vieira disse:

      Actualmente os anticoncepcionais orais são seguros, com níveis baixos de estrogénio e progesterona, mas o suficiente para evitar uma gravidez, desde que não haja falhas / esquecimento na sua toma.
      Há vários métodos anticoncepcionais, e antes de iniciar deverá ir ao ginecologista, que após de observa-la, recomendará de acordo com os resultados dos exames e análises, o melhor método tendo em conta a idade e doenças pré-existentes (veja o post anterior sobre check-up da mulher).

  6. isabella disse:

    Olá adorei o post.no próximo post gostaria de saber sobre o ciclo menstrual , cólicas , o aparecimento de acnes durante o período , etc .

    • Albertina Vieira disse:

      Acne geralmente surge durante a puberdade, altura em que se verificam as alterações hormonais próprias deste período, e o seu aparecimento ser comum em determinados tipos de pele, sobretudo a pele seborreica. Pode persistir na idade adulta. Consulte um dermatologista para a orientar.
      Quanto as cólicas menstruais ou dismenorreia, é uma dor que surge por contração do músculo uterino(miométrio) e pode variar de intensidade, de ligeira até tornar-se incapacitante. Podem ainda surgir outros sintomas como dores de cabeça, náuseas, tonturas, nervosismo etc. As causas só podem ser esclarecidas na maioria das vezes através de ultrassonografia pélvica ou endovaginal. Consulte o seu ginecologista

  7. ruth borges disse:

    eu amei essa dica espero que tenha nos proximos posts!!!

  8. Amiga disse:

    Muito bacana!

    Gostaria de saber mais sobre o problema do hímen elástico (que demora sofrer ruptura após a relação sexual), pois tive um caso bem proximo na familia e gostaria de saber se pode ser hereditário e o que ocasiona o problema.

    Grata. :)

    • Albertina Vieira disse:

      O hímen complacente também designado vulgarmente por hímen elástico, pode ser uma malformação apenas individual ou surgir em outros familiares.

  9. katia Valeria disse:

    Já tive,sim quando estava esperando minha filha era frequente, é um desconforto, foi muito bom obter todas as informações.Muito obrigada Dr Albertina.

  10. franci disse:

    Adorei essas informaçoes. Gostaria de saber sobre o ciclo menstrual e sobre cólicas. Sobre elas, o que causa,como previni-las, o que fazer para ameniza-las, em fim. Adoraria saber mais sobre o assunto.

  11. Luciane Passos disse:

    Boa tarde.
    Este post está bem fácil de entender, e vai ajuadar nós mulheres a evitarmos este mal, já tive e é muito ruim.

  12. Silvia Bordin disse:

    Olá Drª Albertina

    Achei muito bom a abordagem deste assunto, muitas mulheres sofrem sem saber qual o procedimento para evitar futuras infecções urinárias. Eu já tive este problema na qual se agravou com uma infecção nos rins, a dor e o incómodo é intensa e desagradável.

    Com a orientação que a sra nos trouxe neste post fica mais esclarecedor de como podemos prevenir da forma correta a infecção urinária.

    Obrigada e Bjs

  13. Joselene Lima disse:

    Muito bom o post! Já tive infecção urinária e é muito ruim! Além do desconforto, o tratamento custa caro (tive que tomar uma pilha de remédios). O segredo para não contrair essa doença é tomar bastante água e ir ao banheiro sempre que tiver vontade de urinar (eu não fazia isso e sofri muito com essa doença terrível).

  14. Carla disse:

    Muito útil Dra.
    Eu tive muita infecção urinária, agora graças a Deus estou tendo uma vez ao ano, estou me cuidando mais, muitas de suas dicas já faço, uma outra boa é usar calcinha com tecido de algodão, ajuda bastante.

    Um beijo!

  15. Elizabeth cruz disse:

    Amei, era mesmo oque eu estava a precisar pelo simples facto de que a um mês atras me encontrava com infecção urinaria, para além de ingerir muita água não tinha noção de tantas coisas para prevenirmos as infecções, mas graças a este post pude saber um pouco mais, amei.

Deixe uma resposta